O caráter da revelação espírita

December 3, 2014

 

O caráter da revelação espírita

 

 

1.- Um outro aspecto da revelação espírita é que ela é dinâmica e está sempre em sintonia com a ciência, pois tal como esta última a Doutrina Espírita é progressiva. Isto quer dizer que o Espiritismo é uma filosofia aberta ao progresso da ciência.

Kardec nos coloca com muita propriedade que o Espiritismo jamais será ultrapassado pois "se novas descobertas demostrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificará sobre esse ponto, se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará ".

 

2.- Sabemos que todo ser humano trás marcada em sua consciência as leis morais, mas ainda necessitamos de pequenos lembretes que nos despertem esses conhecimentos. A moral que trazemos conosco é a moral do Cristo, que já tinha sido prenunciada por Sócrates e Platão em termos quase idênticos. O Espiritismo vem reafirmar essa moral acrescendo a ela os princípios que unem os mundos material e espiritual, despertando no ser humano a solidariedade e o amor ao próximo que deixam de ser praticados como dever e passam a ser praticados com prazer.

 

3.- No entanto pergunta-se: "Qual a autoridade da revelação espírita, pois que ela emana de seres cujas luzes são limitadas e que não são infalíveis? " Devemos nos lembrar que o ensino dos Espíritos é somente um começo. O ser humano usará esses ensinamentos como ponto de partida para a reflexão e o estudo. Sabemos que os Espíritos são as almas dos homens e, portanto sabemos também que homens de gênio que estiveram encarnados podem nos dar instruções sob a forma espiritual da mesma maneira que nos davam quando encarnados.

 

4.- Porém, os espíritos que se comunicam não são somente Espíritos Superiores e sim de todas as ordens e quaisquer que sejam os ensinamentos que nos são passados cabe a nós discernirmos neles o que há de bom ou mau. O ensino é constante tanto entre encarnados e desencarnados como entre encarnados. Todos podem ensinar-nos coisas que não sabíamos e que sem eles não saberíamos.

 

5. - Os Espíritos com grande conhecimento que estão encarnados tem seu campo de ação restrito e portanto a propagação de seus conhecimentos é feita de forma lenta. Se um encarnado falasse sobre o mundo espiritual e como se processa o intercambio entre ele e nosso mundo dificilmente alguém acreditaria, visto que somos ainda muito céticos. Por essa razão os conhecimentos foram passados pelos Espíritos como forma de convencer-nos da sua existência e o fazendo em vários pontos da Terra ao mesmo tempo, o fazem de maneira mais rápida e dão uma prova da verdade na coincidência desses ensinamentos.

 

 

 

QUESTÕES PARA ESTUDO:

 

a) Como se dá a relação entre o Espiritismo e as demais ciências?

 

b) Qual a utilidade da doutrina moral dos Espíritos, se ela é a mesma de Jesus?

 

c) Como explicar a autoridade da revelação espírita, considerando que ela foi trazida por espíritos ainda falíveis?

 

d) Por que os conhecimentos sobre a moral de Jesus e os postulados da Doutrina Espírita não foram passados somente pelos espíritos de gênio que estavam encarnados?

 

Fonte: http://www.cvdee.org.br/est_genesetexto.asp?id=011

 

 

 

 

 

CARACTERES DA REVELAÇÃO ESPÍRITA

Revista Espírita. Setembro de 1867.

 

13. Por sua natureza, a revelação tem um duplo caráter: participa, ao mesmo tempo, da revelação divina e da revelação científica. Da primeira, porque o seu surgimento é providencial, e não o resultado da iniciativa e de um desígnio premeditado do homem; porque os pontos fundamentais da doutrina são o fato do ensino dado pelos Espíritos encarregados por Deus de esclarecer os homens sobre coisas que estes ignoravam, que não podiam aprender por si-mesmos e que hoje lhes importa conhecer, pois estão amadurecidos para as compreender. Da segunda, porque tal ensino não é privilégio de ninguém, mas é dado a todo o mundo pela mesma via; porque os que o transmitem e os que o recebem não são seres passivos, dispensados do trabalho de observação e de pesquisa; porque não prescindem de seu raciocínio e de seu livre arbítrio; porque o controle não lhes é interdito, mas, ao contrário, recomendado; enfim, porque a doutrina não foi ditada peça por peça, nem imposta à crença cega; porque é deduzida, pelo trabalho do homem, da observação dos fatos que os Espíritos põem sob os nossos olhos e das instruções que nos dão, instruções que ele estuda, comenta, compara e das quais ele próprio tira as consequências e as aplicações. Numa palavra, o que caracteriza a revelação espírita é que a sua fonte é divina, que a iniciativa pertence aos Espíritos e que a elaboração é produto do trabalho do homem.

 

14. — Como meio de elaboração, o Espiritismo procede exatamente da mesma maneira que as ciências positivas, isto é, aplica o método experimental. Apresentam-se fatos de uma ordem nova, que não se podem explicar pelas leis conhecidas. Ele os observa, os compara, os analisa, e dos efeitos remontando às causas, chega à lei que os rege; depois deduz as suas consequências e busca as suas aplicações úteis. Não estabelece qualquer teoria preconcebida. Assim, não apresentou como hipótese nem a existência e a intervenção dos Espíritos, nem o perispírito, nem a reencarnação, nem nenhum dos princípios da doutrina. Concluiu pela existência dos Espíritos quando essa existência ressaltou com evidência da observação dos fatos, e assim com outros princípios. Não foram os fatos que vieram de súbito confirmar a teoria, mas a teoria que veio subsequentemente explicar e resumir os fatos. E, pois, rigorosamente exato dizer que o Espiritismo é uma ciência de observação e não o produto da imaginação.

Depoimentos

Please reload

Featured Posts

Palestra com o Tema: Amando Sempre

September 3, 2017

1/10
Please reload

Recent Posts

May 22, 2015

March 23, 2015

Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic